Developers, Developers, Developers

A nossa necessidade será a verdadeira criadora

Até dezembro de 2016 eu utilizei um Windows Phone (já com a versão mobile do Windows 10), e o abandonei devido à comodidade, ou a falta dela: um Android era barato o suficiente, e oferecia toda sorte de aplicativos constantemente atualizados provendo os mais variados serviços. Já na loja da Microsoft, aplicativos desatualizados, bugados, e muitas vezes abandonados pelos desenvolvedores.

Recentemente vimos notícias que desanimaram os últimos usuários dessa plataforma: um funcionário de alto escalão da Microsoft, ao ser questionado se era a hora de abandonar o Windows Phone, respondeu não só que a plataforma não vai evoluir, mas que ele próprio já a havia abandonado.

Entretanto, guardo daquela época uma lembrança muito querida: o esforço de desenvolvedores independentes, que na falta de bons aplicativos oficiais, criavam por eles próprios aplicativos alternativos tão bons, mas tão bons, que a experiência de uso superava e muito aos aplicativos oficiais em plataformas atualizadas (Android e iOS).

“A nossa necessidade será a verdadeira criadora”, teria dito Platão.

Cito em particular dois casos muito peculiares: o Tweet It!, que é um cliente de Twitter tão bom, que só pensar em usar o aplicativo oficial desatualizado seria uma loucura. E o Poki, um cliente alternativo do Pocket, com uma usabilidade tão boa quanto, se não melhor que o original.

Os desenvolvedores desses e de outros aplicativos tinham tanto apreço pela plataforma Windows Mobile que, vendo uma necessidade decorrente da falta de bons aplicativos oficiais, se esforçaram, desenvolveram, ganharam uma graninha (espero que sim), e ajudaram a manter essa plataforma usável por um bom tempo, a despeito do descuidado da própria Microsoft. Eles não queriam que essa plataforma morresse.

Entretanto, mesmo com essas alternativas a serviços populares, há aplicativos para os quais não é possível desenvolver alternativas, principalmente quando lidam com serviços fechados: Uber, Cabify, aplicativos de bancos, etc. Nestes casos, os usuários eram obrigados a conviver com versões antigas, capadas ou bugadas dos apps oficiais, isso quando existiam. Vimos a cada dia notícias de mais serviços abandonando e retirando seus apps da plataforma.

O Windows Phone agora jaz em seu leito, mas pra mim o que fica na memória é a comunidade de desenvolvedores que abraçou a ideia, e tentou tornar a vida dos usuários – e a sua própria – um pouco mais fácil.

Obrigado developers, developers, developers.

Publicado por

Jerônimo Fagundes da Silva

Oi, eu sou o Jerônimo. :-D Desde 2004, trabalho com desenvolvimento de software voltado à web. Nesse período, trabalhei com diferentes tecnologias, e sempre voltado à web: HTML, JavaScript, CSS, PHP, MySQL, C, PostgreSQL, e ainda outras que não estou lembrando agora. Atualmente, moro em Canoas-RS-Brasil e trabalho como Líder de Desenvolvimento na KingHost em Porto Alegre-RS-Brasil.