Obsolescência Programada

Ou: Como as Fabricantes o Forçam a Comprar as Novas Versões Ou: Tática Chaves de Venda de Balões

Quando você compra um eletrônico (como smartphones, tablets ou até notebooks), após um certo tempo, o fabricante geralmente lança atualizações de software que, sabidamente, vão prejudicar o desempenho do seu dispositivo.

Até então ele estava funcionando perfeitamente mas, com a nova versão, torna-se lento, ou às vezes inutilizável. A saída é apenas uma: comprar outro aparelho mais novo que suporte melhor essas novas versões e com desempenho aceitável.

Após algum tempo, lançam novas atualizações para este aparelho novo, que torna-se lento, e assim segue o ciclo. Essa é a famosa Obsolescência Programada.

Todos somos vítimas dela. Eu fui vítima dela quando comprei um iPhone 3GS por exemplo. Excelente aparelho, rápido. Com o tempo, novas atualizações de software surgiram, e hoje o iPhone 3GS jaz em uma gaveta pois, afinal, é impraticável utilizá-lo: é lento, trava.

Por que não deixaram como versão máxima para ele uma versão na qual ele ainda funcionava rapidamente? Para forçar o usuário a comprar outro modelo mais novo.

Isso ocorre também com smartphones Android, Windows Phone, com tablets, computadores, etc. Independe da marca.

Como se proteger? Duas opções:

  1. Pesquise antes de atualizar. Se usuários relatam perda de desempenho, não atualize. Continue na versão antiga.
  2. Recorra a um sistema operacional alternativo. Usuários de Android costumam dar sobrevida a aparelhos aparentemente obsoletos com ROMs alternativas como o Cyanogenmod, por exemplo. Isso mantém o aparelho atualizado, e algumas vezes mais rápido do que ele era de fábrica. Testei isso num Samsung Galaxy S3 e foi impressionante. Para computadores, vale tentar usar uma distribuição linux e salvar a máquina antiga. Eu uso Debian em meu notebook já um tanto antigo e fraco, e é ótimo.

Por que estou escrevendo sobre isso? Na segunda-feira, percebi que a Apple me oferecia gratuitamente uma atualização para meu Mac Mini de 5 anos (modelo de 2010) para seu novíssimo sistema Mac OS X El Capitan.

Há algum tempo atrás, me ofereceram a atualização para o então novíssimo Yosemite, que prejudicou consideravelmente o desempenho de meu computador até então 100% funcional. E na terça, a Apple anuncia os novíssimos preços para seus computadores: cifras astronômicas.

Atualizarei? Provavelmente não. Na verdade, acho que vou tentar regredir para uma versão anterior para obter o funcionamento pleno novamente.

Se atualizasse, ficaria inutilizável, aposto. O que fazer nesse caso? Comprar outro.

O Chaves e o Sr. Madruga desenvolveram um sistema infalível para venda de balões.

  1. O Sr. Madruga vendia um balão.
  2. O Chaves espetava o balão do cliente quando o Sr. Madruga já tivesse o dinheiro no bolso.
  3. Quando o cliente atônito perguntava o que deveria fazer, o Chaves disparava: comprar outro.

Em tempos de crise, convém evitar que seu aparelho funcional torne-se obsoleto. Em tempos de bonança também. Vamos evitar o consumismo desenfreado. Salve seu hardware funcional com software que funciona nele e que lhe atenda.